Início > PSP, SMT > Então, finalmente cheguei a jogar Persona 3 Portable…

Então, finalmente cheguei a jogar Persona 3 Portable…

…e vou dizer aqui o que achei.

UPDATE: Após jogar até o fim, fiz um novo post sobre isso. Tenha certeza de ler o update, pois fiz algumas correções a esse post nele: Ok, let’s talk Persona 3 Portable.

Primeiro, eu não tenho um PSP. Resolvi tentar rodar um emulador, e descobri que o PPSSPP é um emulador satânico que, dependendo do jogo, roda até em uma torradeira. Esse é o caso de P3P.

Meu notebook é um lixo para os padrões dos dias de hoje, isso eu nunca escondi: processador AMD C-50 dual core 1.0GHz, 2 GB RAM, e uma placa de video integrada bem ruinzinha. Ainda assim, consigo rodar P3P a 100% da velocidade:

screen00003

Anyway, vamos ao que interessa.

Primeira coisa a notar, com exceção das entradas, todas as cenas de anime foram cortadas e substituídas por textos, ou gráficos do jogo. Com isso, a aparição inicial de Orpheus e Thanatos é bem menos emocionante, para dizer o mínimo.

Segunda coisa, não existe mais o modo The Answer (embora Psyche exista nos dados do jogo, dando a crer que eles pretendiam incluir Metis, mas desistiram da idéia), então obviamente a entrada do FES não existe também (a entrada do P3 original, que toca Burn My Dread, ainda pode ser vista, though), já que todas as cenas daquela entrada são do The Answer.

Terceira coisa, você não pode mais usar as armas que quiser: o personagem masculino (a.k.a. MC, Minato ou Makoto) usa 1-H Sword, e a personagem feminina (a.k.a. FeMC, MShe, Minako, ou Hamuko) usa Naginata, uma nova classe de armas exclusiva dela. Isso não é tão ruim (embora eu preferisse usar luvas no FES), já que a maioria das pessoas usava 1-H Sword com o personagem principal de qualquer forma, mas torna a primeira lua cheia em um evento meio bizarro (bem, não que já não fosse) quando Yukari lhe dá sua primeira arma como proteção antes da primeira batalha: originalmente uma espada curta, com a personagem feminina agora essa arma é uma réplica de naginata com quase o dobro do tamanho dela!

Quarta coisa, você pode escolher quem será o(a) assistente de Igor na primeira vez que vai ao Tartarus: Elizabeth ou Theodore. Não faz muita diferença, mas eu mesmo não sabia que dá para escolher, eu pensei que era Elizabeth para o personagem masculino e Theodore para a personagem feminina.

Agora vem a parte interessante: o sistema de batalha. Até então, eu pensava que haviam simplesmente adicionado Direct Commands nas Tactics possíveis, mas eles foram mais além: o sistema foi completamente substituído pelo sistema de batalha de Persona 4:

  • Direct Commands, a melhor coisa do sistema.
  • Levantar depois de ser atingido por Weak/Crits agora não gasta um turno, o que impede a estratégia de stunlock usando Thunder Reign contra o The Reaper. Bummer.
  • Ser atingido enquanto está caído possui uma chance de causar Dizzy (100% de chance se a fraqueza for atingida de novo), que impede que você se levante por 1 turno, dando uma utilidade para Re Patra, que ainda é uma das skills mais inúteis do jogo, de qualquer forma.
  • Ataques que atingem todos os inimigos podem causar One More, mesmo se atingirem Null/Repel/Drain. Antes, você só podia conseguir All-Out Attacks com ataques que atingem todos os inimigos (desde que você derrubasse todos os inimigos).
  • Você pode ver os status e mudar os equipamentos dos seus aliados abrindo o menu. Antes, você precisava falar com eles durante a Dark Hour, ou falar com Mitsuru/Fuuka para ver os status deles.
  • Conforme o S.Link Fool aumenta, você vai tendo acesso às habilidades especiais de S.Links de aliados de P4: você pode fazer Co-op Attacks (embora aqui todos sejam apenas um ataque físico com 100% chance de crit), aliados podem impedir sua morte, etc.

Continuando, Social Links. Os clubes da escola são diferentes para a personagem feminina (Home Economics ainda é o irritante Bebe, though), e vários S.Links da escola não existem com a personagem feminina, pois praticamente todos os personagens importantes possuem um S.Link: Magician, Priestess, Empress, Lovers, Justice, Strength, Fortune, Star, e Aeon (pelo que me lembro). Como não existe mais o The Answer, essa é uma boa oportunidade para conhecer melhor os personagens. Also, tem uma pequena cena com Yukiko (de P4) em Inaba ao invés do torneio que o personagem masculino tem nas férias.

Outra coisa, a dificuldade: além dos modos Easy, Normal, e Hard, agora há o Beginner e o Maniac, respectivamente abaixo de Easy, e acima de Hard. Estive jogando no Maniac.

De cara o jogo já lhe avisa: jogar no Maniac impede que você possa passar qualquer coisa para um New Game+ (no compendium for you!) e é claro, inimigos são mais poderosos do que no Hard. Porém, como o jogo não foi criado com Direct Commands em mente, o jogo ainda é bem mais fácil do que, por exemplo, Nocturne. Digo isso sem brincadeiras: com exceção de alguns shadows irritantes (aqueles malditos cavaleiros…), eu raramente tenho problemas em batalhas, mesmo quando jogo solo. Se o combo Yukari+Akihiko+Mitsuru (cobrindo assim Slash, Strike, Pierce, Ice, Elec, e Wind sem levar em conta o personagem principal) já era apelão antes, imagine agora que você pode controlar a todos?

E por falar em jogar solo, não jogo P3 faz um bom tempo, então não lembro se já era assim, mas passar de Lv é uma atividade estupidamente lenta e entediante com um grupo inteiro. No fim das contas, estou tendo que jogar solo para poder upar personas. Por exemplo, no bloco 3, ao enfrentar shadows vermelhos eu ganho 150-300 EXP com um grupo inteiro, mas enfrentando os mesmos inimigos solo eu ganho até 1200 EXP.

Also, All-Out Attacks são praticamente inúteis no começo do jogo no Maniac. Como esse ataque causa dano baseado na força das suas armas, no começo jogo às vezes você causa mais dano simplesmente usando suas skills de novo. De fato, contra inimigos poderosos, vale mais a pena não usar o All-Out Attack e atingir a fraqueza deles novamente (causando assim Dizzy) para impedir que possam agir por um turno. All-Out Attacks só passam a ser realmente úteis quando você começa a ter armas com 100+ de ATK (Toy Bow FTW!).

E como estamos falando de personas, detestei o fato de Fusion Spells agora serem itens. Claro, tem o lado bom de poder usar as Fusion Spells com qualquer persona, mas isso limita bastante o que eu posso fazer. Eu geralmente gosto de abusar de Cadenza no começo do jogo, mas você recebe uns 4 Cadenza no começo, e depois tem que trocar por jóias na Antique Shop, ou comprar do Tanaka.

Also, nada mais de Armageddon + Victory Cry.

Anyway, quanto ao Antique Shop, a personagem feminina não pode criar 1-H Swords especiais através de Weapon Fusion. Ou seja, nada de Lucifer’s Blade ou Deus Xiphos para Mitsuru. O personagem masculino não pode criar Naginatas, mas isso não importa, pois Naginatas são exclusivas da personagem feminina.

Also, Skill Cards. Pense TMs de Pokémon, mas você pode farmar e clonar esses cards à vontade (clonar leva alguns dias, though). É uma idéia interessante, mas acaba com a dificuldade de se conseguir um persona com um bom skillset. Agora é só achar um persona que dê o Skill Card que você quer, upar esse persona, e usar no persona que quiser.

Quanto à trilha sonora, várias músicas forma substituídas, a maioria para melhor: nada mais de “OH YEAH, BABY BABY” na batalha, até que enfim. Gostei bastante da música padrão da cidade (que toca em praticamente qualquer lugar que não seja o Dorm ou Gekkoukan High).

E para terminar, aparentemente o jogo foi retraduzido para o PSP. Algumas cenas tiveram falas levemente modificadas, e alguns itens tiveram nomes modificados (High-Cut Armor agora é Battle Panties, por exemplo). Nada de tão radical, e difícil de notar na maioria dos casos, mas é algo que acho que deva ser mencionado.


 

Enfim, essas foram minhas observações e diferenças entre o FES e o P3P. Embora pareça que estou reclamando demais (e na verdade estou -q), ainda acho que é um ótimo jogo, e estou gostando bastante de jogar esse jogo novamente. Ainda que com tantas diferenças, ainda é o jogo que me fez adorar a série SMT, e é isso o que importa.

Btw, também estou jogando Kingdom Hearts: Birth By Sleep (não no meu notebook, claro). Terminei o jogo com Ventus e Aqua, e posso dizer que gostei muito mais do sistema de batalha desse jogo do que dos jogos anteriores que joguei (KH1, KH2 e Re:Chain of Memories), e adorei as batalhas 1vs1, mas esse não é o motivo desse post, então vou evitar fazer mais comentários.

Categorias:PSP, SMT Tags:, , ,
  1. 20/02/2014 às 20:26

    Passando aqui pra agradecer pelo Walkthrough de Nocturne, valeu cara ajudou muito. Consegui fazer tudo graças ao seu detonado. Achei o mesmo pela busca do google e lendo lá vi que vc tem um blog. Parabéns.

  2. 17/03/2014 às 21:19

    Hidora meu amigo, se estiverjogando o bbs mesmo, procura o bbs final mix que o lleogame traduziu para portugues, se quiser eu procuro pra voce e coloco aqui o/

  3. 17/03/2014 às 22:54

    Leonam Kuro :

    Hidora meu amigo, se estiverjogando o bbs mesmo, procura o bbs final mix que o lleogame traduziu para portugues, se quiser eu procuro pra voce e coloco aqui o/

    Nah, fiz 100% do normal alguns meses atrás. Não faço questão de jogar o FM desde o começo só por causa de sidequests.

Comment pages
  1. 16/11/2014 às 06:08

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: