Another one bites the dust~

20/11/2014 4 comentários

E mais um chefe opcional para a minha lista de chefes derrotados :D

Eu já usei os screenshots dos meus personas no post anterior, mas não custa nada mostrar de novo :P

Ok, let’s talk Persona 3 Portable

16/11/2014 1 comentário

Quase 1 ano atrás eu escrevi um post sobre o PPSSPP rodando P3P no meu notebook lixo. Pois bem, eu não disse na época, mas eu não explorei muito do jogo. Estava mais ou menos na metade do jogo, e deixei de jogar no começo em Agosto (in-game).

Agora que joguei até o fim (ok, ainda me falta enfrentar Margaret), posso dar algumas informações mais corretas.

E vou começar corrigindo e comentando meu post anterior:

Hidora:

Primeira coisa a notar, com exceção das entradas, todas as cenas de anime foram cortadas e substituídas por textos, ou gráficos do jogo. Com isso, a aparição inicial de Orpheus e Thanatos é bem menos emocionante, para dizer o mínimo.

Isso é bem verdade, mesmo. Em particular, o final ruim, e a cena com Aigis na Moonlight Bridge, ficaram terríveis.

Hidora :

Segunda coisa, não existe mais o modo The Answer […]

Vale a pena mencionar que, apesar de The Answer não existir, a entrada do Abyss of Time foi reutilizada para dar lugar à Vision Quest.

Hidora:

Quarta coisa, você pode escolher quem será o(a) assistente de Igor na primeira vez que vai ao Tartarus: Elizabeth ou Theodore. Não faz muita diferença, mas eu mesmo não sabia que dá para escolher, eu pensei que era Elizabeth para o personagem masculino e Theodore para a personagem feminina.

Na verdade, apenas a personagem feminina pode escolher. O personagem masculinho sempre fica com Elizabeth. Enfim, além de algumas diferenças nos textos, essa escolha influencia apenas duas coisas:

  1. Os personas de Theodore são diferentes durante a Request #55, mas isso não afeta muita coisa, já que as affinities/skills ainda são as mesmas. O engraçado é que, mesmo que você tenha escolhido Theodore, Fuuka ainda fala como se fosse Elizabeth:
  2. Se você estiver jogando com a personagem feminina tendo Theodore como assistente, e entrar na Velvet Room tendo Mara equipado, Theodore comenta sobre isso:

Hidora:

Agora vem a parte interessante: o sistema de batalha. Até então, eu pensava que haviam simplesmente adicionado Direct Commands nas Tactics possíveis, mas eles foram mais além: o sistema foi completamente substituído pelo sistema de batalha de Persona 4.

Não só o sistema de batalha foi substituido pelo de P4: O sistema de fusões também foi. Algumas skills únicas (Vorpal Blade, Maralagidyne, etc) agora podem ser passadas através de fusão e skill cards, Inherit Types foram modificados (Type: DARK agora pode receber skills físicas, por exemplo), ter múltiplos de uma mesma skill nos ingredientes não mais aumenta a chance de receber a skill no persona resultante, entre outras diferenças.

Also, há mais alguns Personas que não haviam no FES, e Loki agora usa o visual de Persona 4:

ULUS10512_00183

Hidora:

Se o combo Yukari+Akihiko+Mitsuru (cobrindo assim Slash, Strike, Pierce, Ice, Elec, e Wind sem levar em conta o personagem principal) já era apelão antes, imagine agora que você pode controlar a todos?

Ok, isso é verdade até você começar a Vision Quest. A partir daqui, Aigis é muito mais útil do que Mitsuru, especialmente na dificuldade Maniacs. Mitsuru pode facilmente causar 400-600 de dano em inimigos e chefes nos andares comuns do Tartarus, mas os inimigos na Vision Quest são muito mais poderosos, e -kajas acabam sendo muito mais úteis do que dano bruto.

Yukari (Mediarahan) + Akihiko (-ndas) + Aigis (-kajas) é provavelmente o melhor grupo para lidar com essas batalhas (aconselho ter o Heart Item de Thor para anular as fraquezas de Yukari e Aigis, though).

Hidora:

E como estamos falando de personas, detestei o fato de Fusion Spells agora serem itens. Claro, tem o lado bom de poder usar as Fusion Spells com qualquer persona, mas isso limita bastante o que eu posso fazer. Eu geralmente gosto de abusar de Cadenza no começo do jogo, mas você recebe uns 4 Cadenza no começo, e depois tem que trocar por jóias na Antique Shop, ou comprar do Tanaka.

Ok, a parte do Cadenza é verdade, eu usei pouquíssimas vezes. Porém, o fato de não precisar ter o persona equipado faz com que outras Fusion Spells passem a ser úteis. Destaque para Best Friends (Decarabia+Forneus), que é perfeita para a Request #55 na dificuldade Maniacs (onde você leva 200 de dano de ataques físicos sem -kajas)

Also, algumas Fusion Spells podem ser conseguidas na Vision Quest. Infinity, Armageddon, e Last Judge vem à mente.

Hidora:

Anyway, quanto ao Antique Shop, a personagem feminina não pode criar 1-H Swords especiais através de Weapon Fusion. Ou seja, nada de Lucifer’s Blade ou Deus Xiphos para Mitsuru. O personagem masculino não pode criar Naginatas, mas isso não importa, pois Naginatas são exclusivas da personagem feminina.

Eu devia ter pesquisado antes de ter escrito isso. Sim, Mitsuru não pode usar Lucifer’s Blade e nem Deus Xiphos. Porém, existem 2 novas armas especiais exclusivas de Mitsuru: Snow Queen Whip (Skadi), e Kokuseki Senjin (Alilat), então não tem nenhum problema de verdade com essa mudança, exceto que você não pode mudar a affinity do seu ataque básico, e que Mjolnir (Thor) e Corpse Rod (Beelzebub) são inúteis.

Hidora:

Also, Skill Cards. Pense TMs de Pokémon, mas você pode farmar e clonar esses cards à vontade (clonar leva alguns dias, though). É uma idéia interessante, mas acaba com a dificuldade de se conseguir um persona com um bom skillset. Agora é só achar um persona que dê o Skill Card que você quer, upar esse persona, e usar no persona que quiser.

Sinceramente, eu quase não usei isso. De fato, só fiz uso de Skill Cards 4 vezes:

  1. Passar Elec Boost para Odin.
  2. Passar lixos perfeitos e eliminar skills pesadas dos ingredientes, facilitando passar a skill que eu queria (Pantha Rei para Thanatos, caso esteja curioso).
  3. Passar Pralaya e Absorb Pierce para Siegfried.
  4. Criar o Orpheus Telos, já que a única skill que eu queria que não pode ser conseguida por Skill Cards foi Pantha Rei. Levei quase 1 semana para criar Telos no FES. Com isso, levei menos de 1h para criar Telos no P3P.

Hidora:

Quanto à trilha sonora, várias músicas forma substituídas, a maioria para melhor: nada mais de “OH YEAH, BABY BABY” na batalha, até que enfim.

Como eu só havia jogado com a personagem feminina, eu não sabia disso na época, mas essas músicas foram trocadas apenas para a FeMC. O personagem masculino ainda tem as mesmas músicas do FES.

Also, se você, como eu, achava que a música do segundo semestre em Gekkoukan High era irritante no FES, espere até ouvir a atrocidade que é a versão da personagem feminina.

Piadas à parte, a única música da personagem feminina que não gostei foi essa.


 

Ok, agora que terminei de corrigir/comentar meu post anterior, vamos aos meus outros comentários sobre o jogo.

Primeiro, volto a dizer que a dificuldade do jogo é muito menor do que no FES, mesmo na dificuldade Maniacs. Chegou ao ponto em que eu estava matando chefes do Tartarus com um só golpe. Isso até agora só não se provou verdade na batalha contra o Hanged Man na Vision Quest, e na batalha contra Theodore.

Segundo, Shuffle Time. Agora só existem 2 tipos de Shuffle Time: o mais básico (2 cartas são trocadas de lugar de cada vez), e um em que as cartas giram em um eixo, com até 3 cartas em cada eixo, similar a um átomo. Todos os outros tipos de shuffle foram removidos.

Terceiro, o RNG para efeitos adicionais de equipamentos foi removido. Agora todos os equipamentos possuem um efeito fixo. Isso quer dizer que não é mais possível ter uma Armor of Light que o deixe resistente a ataques físicos (agora sempre é Resist Magic), e que Soul of Athena e Swan Legs não podem mais ter nenhum efeito, não importa quantas vezes você tente farmar esses itens.

Quarto, Requests. Devido ao fato de Fusion Spells agora serem itens, todas as 18 Requests relacionadas foram removidas. Por algum motivo, a Request #84 (Please find the missing person) também foi removida, talvez para ter um número redondo de Requests, que agora foram reduzidas a 80.

Btw, as recompensas de várias Requests foram modificadas. Eu já atualizei a o guia com essas diferenças. É importante mencionar que eu não joguei com o personagem masculino e só verifiquei as Requests que dão equipamentos, então talvez alguma recompensa esteja errada para ele.

Also, a Request #55 não precisa mais de NG+. Isso é ótimo, pois um NG+ na dificuldade Maniacs significa que você precisa começar tudo do zero, e um NG+ em qualquer outra dificuldade faz pouco sentido, considerando que você mantém praticamente tudo o que você tem.

E por último, a Vision Quest, que eu mencionei algumas vezes acima. Quando chega no dia 1/1, Elizabeth/Theodore lhe avisa que a irmã deles resolveu testá-lo, e uma porta prateada se abre no Tartarus. Atrás dessa porta está a Vision Quest Chamber, onde Margaret (de Persona 4) pede que você passe pelos desafios de todas as 13 portas espalhadas pelo lugar.

8 dessas portas são os chefes das luas cheias (só que mais poderosos; Hanged Man é estupidamente poderoso na dificuldade Maniacs, seus minions chegando a causar 400-500 de dano por ataque!). As outras 5 portas são desafios em que seu Lv, stats, equipamentos, personas e aliados são definidos pelo desafio, e você precisa derrotar os inimigos usando o que você tiver em mãos.

Cada porta possui 3 recompensas diferentes e, após você conseguir todas as 3, sempre lhe dá uma recompensa menor. Após passar por todas as portas, a última porta aparece, onde você pode enfrentar Margaret.

Ainda não fiz essa batalha (trabalhos e provas da faculdade chegando assim que derrotei Theodore), mas pelo que vi em guias, a batalha é exatamente a mesma coisa da batalha em Persona 4, então se você a enfrentou lá, já sabe o que fazer.

E para terminar, alguns screenshots, seguidos pelo vídeo que fiz da minha batalha contra Theodore na dificuldade Maniacs:

It is done!

18/08/2014 1 comentário

Finalmente completei meu walkthrough de Digital Devil Saga: Avatar Tuner! :D

Digital Devil Saga: FAQ/Walkthrough by hidora

E ainda com um vídeo da minha batalha contra o chefe opcional apelão!

Estou começando a trabalhar no walkthrough de DDS2, e dessa vez pretendo fazer um FAQ formatado. Porém, ainda vai levar algum tempo para completar esse guia.

Categorias:Guias, PS2, SMT Tags:, , ,

IT’S HAPPENING!

12/07/2014 10 comentários

Whoa, já faz mesmo todos esses meses desde que postei algo? Eu sei que disse que não ia mais falar sobre isso, mas…

Enfim, eu até tentei postar alguma coisa, mas quando tinha uma idéia sólida, acabava acontecendo algo e ficava sem tempo pra isso, e depois esquecia o que ia escrever :P

Nway, vamos ao que interessa. No fim das contas, decidi falar de algo mais recente, então só tenho duas coisas sobre o que falar.

Primeiro, The International 4. Se você ainda não ouviu falar disso, ou você não liga para jogos competitivos, ou você não tem prestado muita atenção, já que estamos falando do maior campeonato de jogos de todos os tempos, com um prêmio total de mais de 10.000.000 de dólares, que virou notícias em vários jornais ao redor do mundo nas últimas semanas, e começou os playoffs em 8 de Julho.

Em resumo, se você conhece ou já ouviu falar de Dota 2, vá assistir agora mesmo. Se estiver pelo menos interessado, aconselho que assista mesmo assim (há narradores brasileiros, caso não saiba inglês o suficiente para entender). Infelizmente, os dois times para os quais eu estava torcendo acabam de ser eliminados enquanto escrevo isso, though :(

A outra coisa que eu tenho para falar é, e se você prestou atenção nesse blog nos últimos 2 meses, você já sabe: Tales of Graces f.

Apesar de Tales of the Abyss ter sido um dos meus jogos preferidos (ao ponto de eu fazer um detonado mais do que completo), tenho de admitir que eu não esperava gostar tanto desse jogo.

Inicialmente, o jogo é bem estranho. Você joga com garotos de 9-14 anos, A-Artes (ataques básicos) não podem ser usados livremente (pois gastam CC, que você só tem uns 3-6) e possuem nomes estranhos, você não tem acesso a B-Artes, metade do tempo você tem alguém no grupo que não pode lutar, etc.

Daí acaba o primeiro capítulo, alguns anos se passam, e de repente esse jogo se tornou um dos melhores RPGs do ps3, na minha opinião. A história não é muito inovadora (até porque a série Tales of sempre segue uma fórmula básica), e possui um tom cômico bem maior que outros jogos, mas quatro coisas me chamaram bastante a atenção:

Primeiro, Skit Scenes finalmente são dubladas na versão US. E o jogo faz piada sobre isso! (essa é a descrição do Title que você ganha por assistir a 95% das Skits do jogo).

Segundo, os personagens. Quem já jogou um Tales of sabe que os personagens da série sempre possuem uma profundidade maior do que em praticamente qualquer outra série (em grande parte devido às Skit Scenes), e Graces f não deixa a desejar. Pascal agora é uma das minhas personagens favoritas de todos os tempos.

Terceiro, o sistema de combate possui um foco muito mais defensivo do que outros jogos da série. Há várias passivas que melhoram os efeitos de defender e desviar de golpes inimigos, enquanto, a menos que jogue na dificuldade Easy, é praticamente impossível tankar qualquer coisa. Also, não é possível ficar martelando X para atacar repetidamente: A-Artes (ataques comuns) gastam CC assim como B-Artes.

Quarto, tem tanta coisa para fazer. Diferente de outros jogos da série, não há nada bloquado por trás do NG+, então é possível fazer tudo desde o começo (ok, o Title que precisa de Lv200 provavelmente é impossível sem um NG+). Existem mais de 1000 Titles, milhares de skills passivas, centenas de Skit Scenes, dezenas de Artes, dezenas de sidequests, equipamentos podem ser melhorados até +99, entre outras coisas. Jogando na dificuldade Chaos desde que a desbloqueei, levei cerca de 90h para completar a história principal. Daí vem o epílogo Lineage & Legacies (AKA f arc), me levando a 130h total, e então ainda tem mais uma dungeon opcional depois disso que ainda estou explorando, Zhonecage. E isso tudo antes de começar um NG+!

Also, o Grade Shop funciona diferente do resto da série: você não ganha mais Grade baseado na sua performance em batalha. Ao invés disso, você ganha Grade baseado no que você fez durante o jogo. Coisas como nº de Titles em rank Master, nº de Soul Orbs, melhor equipamento melhorado, sidequests completadas, etc., aumentam seu Grade. Os preços no Grade Shop também não são muito altos. Com exceção da opção de manter todas as Artes e skills passivas (que custa 2500 Grade), quase tudo custa 200 Grade ou menos (existem alguns que custam ~400, mas são só uns 2). No fim do meu primeiro playthrough, se eu não comprar a opção de manter skills, posso comprar todas as outras opções.

E para terminar, ladies and gentlemen, Pascal!

Pascal - Fever Dream

Então, finalmente cheguei a jogar Persona 3 Portable…

10/12/2013 14 comentários

…e vou dizer aqui o que achei.

UPDATE: Após jogar até o fim, fiz um novo post sobre isso. Tenha certeza de ler o update, pois fiz algumas correções a esse post nele: Ok, let’s talk Persona 3 Portable.

Primeiro, eu não tenho um PSP. Resolvi tentar rodar um emulador, e descobri que o PPSSPP é um emulador satânico que, dependendo do jogo, roda até em uma torradeira. Esse é o caso de P3P.

Meu notebook é um lixo para os padrões dos dias de hoje, isso eu nunca escondi: processador AMD C-50 dual core 1.0GHz, 2 GB RAM, e uma placa de video integrada bem ruinzinha. Ainda assim, consigo rodar P3P a 100% da velocidade:

screen00003

Anyway, vamos ao que interessa.

Primeira coisa a notar, com exceção das entradas, todas as cenas de anime foram cortadas e substituídas por textos, ou gráficos do jogo. Com isso, a aparição inicial de Orpheus e Thanatos é bem menos emocionante, para dizer o mínimo.

Segunda coisa, não existe mais o modo The Answer (embora Psyche exista nos dados do jogo, dando a crer que eles pretendiam incluir Metis, mas desistiram da idéia), então obviamente a entrada do FES não existe também (a entrada do P3 original, que toca Burn My Dread, ainda pode ser vista, though), já que todas as cenas daquela entrada são do The Answer.

Terceira coisa, você não pode mais usar as armas que quiser: o personagem masculino (a.k.a. MC, Minato ou Makoto) usa 1-H Sword, e a personagem feminina (a.k.a. FeMC, MShe, Minako, ou Hamuko) usa Naginata, uma nova classe de armas exclusiva dela. Isso não é tão ruim (embora eu preferisse usar luvas no FES), já que a maioria das pessoas usava 1-H Sword com o personagem principal de qualquer forma, mas torna a primeira lua cheia em um evento meio bizarro (bem, não que já não fosse) quando Yukari lhe dá sua primeira arma como proteção antes da primeira batalha: originalmente uma espada curta, com a personagem feminina agora essa arma é uma réplica de naginata com quase o dobro do tamanho dela!

Quarta coisa, você pode escolher quem será o(a) assistente de Igor na primeira vez que vai ao Tartarus: Elizabeth ou Theodore. Não faz muita diferença, mas eu mesmo não sabia que dá para escolher, eu pensei que era Elizabeth para o personagem masculino e Theodore para a personagem feminina.

Agora vem a parte interessante: o sistema de batalha. Até então, eu pensava que haviam simplesmente adicionado Direct Commands nas Tactics possíveis, mas eles foram mais além: o sistema foi completamente substituído pelo sistema de batalha de Persona 4:

  • Direct Commands, a melhor coisa do sistema.
  • Levantar depois de ser atingido por Weak/Crits agora não gasta um turno, o que impede a estratégia de stunlock usando Thunder Reign contra o The Reaper. Bummer.
  • Ser atingido enquanto está caído possui uma chance de causar Dizzy (100% de chance se a fraqueza for atingida de novo), que impede que você se levante por 1 turno, dando uma utilidade para Re Patra, que ainda é uma das skills mais inúteis do jogo, de qualquer forma.
  • Ataques que atingem todos os inimigos podem causar One More, mesmo se atingirem Null/Repel/Drain. Antes, você só podia conseguir All-Out Attacks com ataques que atingem todos os inimigos (desde que você derrubasse todos os inimigos).
  • Você pode ver os status e mudar os equipamentos dos seus aliados abrindo o menu. Antes, você precisava falar com eles durante a Dark Hour, ou falar com Mitsuru/Fuuka para ver os status deles.
  • Conforme o S.Link Fool aumenta, você vai tendo acesso às habilidades especiais de S.Links de aliados de P4: você pode fazer Co-op Attacks (embora aqui todos sejam apenas um ataque físico com 100% chance de crit), aliados podem impedir sua morte, etc.

Continuando, Social Links. Os clubes da escola são diferentes para a personagem feminina (Home Economics ainda é o irritante Bebe, though), e vários S.Links da escola não existem com a personagem feminina, pois praticamente todos os personagens importantes possuem um S.Link: Magician, Priestess, Empress, Lovers, Justice, Strength, Fortune, Star, e Aeon (pelo que me lembro). Como não existe mais o The Answer, essa é uma boa oportunidade para conhecer melhor os personagens. Also, tem uma pequena cena com Yukiko (de P4) em Inaba ao invés do torneio que o personagem masculino tem nas férias.

Outra coisa, a dificuldade: além dos modos Easy, Normal, e Hard, agora há o Beginner e o Maniac, respectivamente abaixo de Easy, e acima de Hard. Estive jogando no Maniac.

De cara o jogo já lhe avisa: jogar no Maniac impede que você possa passar qualquer coisa para um New Game+ (no compendium for you!) e é claro, inimigos são mais poderosos do que no Hard. Porém, como o jogo não foi criado com Direct Commands em mente, o jogo ainda é bem mais fácil do que, por exemplo, Nocturne. Digo isso sem brincadeiras: com exceção de alguns shadows irritantes (aqueles malditos cavaleiros…), eu raramente tenho problemas em batalhas, mesmo quando jogo solo. Se o combo Yukari+Akihiko+Mitsuru (cobrindo assim Slash, Strike, Pierce, Ice, Elec, e Wind sem levar em conta o personagem principal) já era apelão antes, imagine agora que você pode controlar a todos?

E por falar em jogar solo, não jogo P3 faz um bom tempo, então não lembro se já era assim, mas passar de Lv é uma atividade estupidamente lenta e entediante com um grupo inteiro. No fim das contas, estou tendo que jogar solo para poder upar personas. Por exemplo, no bloco 3, ao enfrentar shadows vermelhos eu ganho 150-300 EXP com um grupo inteiro, mas enfrentando os mesmos inimigos solo eu ganho até 1200 EXP.

Also, All-Out Attacks são praticamente inúteis no começo do jogo no Maniac. Como esse ataque causa dano baseado na força das suas armas, no começo jogo às vezes você causa mais dano simplesmente usando suas skills de novo. De fato, contra inimigos poderosos, vale mais a pena não usar o All-Out Attack e atingir a fraqueza deles novamente (causando assim Dizzy) para impedir que possam agir por um turno. All-Out Attacks só passam a ser realmente úteis quando você começa a ter armas com 100+ de ATK (Toy Bow FTW!).

E como estamos falando de personas, detestei o fato de Fusion Spells agora serem itens. Claro, tem o lado bom de poder usar as Fusion Spells com qualquer persona, mas isso limita bastante o que eu posso fazer. Eu geralmente gosto de abusar de Cadenza no começo do jogo, mas você recebe uns 4 Cadenza no começo, e depois tem que trocar por jóias na Antique Shop, ou comprar do Tanaka.

Also, nada mais de Armageddon + Victory Cry.

Anyway, quanto ao Antique Shop, a personagem feminina não pode criar 1-H Swords especiais através de Weapon Fusion. Ou seja, nada de Lucifer’s Blade ou Deus Xiphos para Mitsuru. O personagem masculino não pode criar Naginatas, mas isso não importa, pois Naginatas são exclusivas da personagem feminina.

Also, Skill Cards. Pense TMs de Pokémon, mas você pode farmar e clonar esses cards à vontade (clonar leva alguns dias, though). É uma idéia interessante, mas acaba com a dificuldade de se conseguir um persona com um bom skillset. Agora é só achar um persona que dê o Skill Card que você quer, upar esse persona, e usar no persona que quiser.

Quanto à trilha sonora, várias músicas forma substituídas, a maioria para melhor: nada mais de “OH YEAH, BABY BABY” na batalha, até que enfim. Gostei bastante da música padrão da cidade (que toca em praticamente qualquer lugar que não seja o Dorm ou Gekkoukan High).

E para terminar, aparentemente o jogo foi retraduzido para o PSP. Algumas cenas tiveram falas levemente modificadas, e alguns itens tiveram nomes modificados (High-Cut Armor agora é Battle Panties, por exemplo). Nada de tão radical, e difícil de notar na maioria dos casos, mas é algo que acho que deva ser mencionado.


 

Enfim, essas foram minhas observações e diferenças entre o FES e o P3P. Embora pareça que estou reclamando demais (e na verdade estou -q), ainda acho que é um ótimo jogo, e estou gostando bastante de jogar esse jogo novamente. Ainda que com tantas diferenças, ainda é o jogo que me fez adorar a série SMT, e é isso o que importa.

Btw, também estou jogando Kingdom Hearts: Birth By Sleep (não no meu notebook, claro). Terminei o jogo com Ventus e Aqua, e posso dizer que gostei muito mais do sistema de batalha desse jogo do que dos jogos anteriores que joguei (KH1, KH2 e Re:Chain of Memories), e adorei as batalhas 1vs1, mas esse não é o motivo desse post, então vou evitar fazer mais comentários.

Categorias:PSP, SMT Tags:, , ,

This week was a good week

Pretendia postar isso antes, mas a preguiça faculdade me impediu.

Persona 5 e um novo .hack anunciados em uma mesma semana? AWW YISS!

AWW YISS

Categorias:.hack, PS3, SMT Tags:, ,

Alguém pode me explicar o que aconteceu dia 25 de outubro?

04/11/2013 2 comentários

Como é que de repente o número de visualizações por dia passou de 35-60 pra 328, o melhor resultado que tive até hoje? Até então, todas as vezes que o melhor dia do blog era superado sempre foi em janeiro ou em julho (ou seja, durante as férias), mas dessa vez, algo aconteceu.

What is this I don't even--

Categorias:Random Tags: